APAGÕES: Ministério das Minas Energia iniciou reforço à rede elétrica que abastece Rondônia e Acre

EnergiaO ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, anunciou nessa quinta-feira (24/9), em reunião com bancada de deputados e senadores do Acre e Rondônia, que já foi iniciado o plano de reforço à rede elétrica que abastece os dois Estados, para evitar que se repitam novas quedas de energia como as ocorridas nos últimos dias naquela região.

A primeira medida foi recolocar em operação a usina Termonorte II, uma termelétrica a OPTE (um tipo de combustível específico para as máquinas de usinas como a Termonorte II) que estava desligada e foi acionada hoje pela manhã, devendo atingir sua capacidade plena na tarde desta sexta-feira.

Com a usina em operação, o sistema ficará mais robusto para suportar o eventual desligamento de outras fontes de energia.

Durante a reunião com os parlamentares, a primeira providência do ministro foi esclarecer que não tinha procedência uma versão equivocada que chegou a circular nos Estados, de que o problema seria causado por falta de geração de energia. O

s problemas foram causados por perturbações na transmissão, uma delas causada por um raio, e as demais por outras falhas técnicas decorrentes da especificidade das conversoras que transportam a energia das usinas de Jirau e Santo Antônio, ambas em Porto Velho (RO).

Para corrigir o problema, e normalizar o sistema que atende Rondônia e Acre, estão sendo adotadas as seguintes medidas, acertadas em acordo entre o Ministério de Minas e Energia e o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS):

1)Colocada em operação a UTE Termonorte II – Com a ampliação da geração local, vinculada ao Sistema Interligado Nacional (SIN), quando houver perda de linha que traz energia do Mato Grosso, ou das usinas do Rio Madeira, haverá menor possibilidade de queda do sistema que supre as duas capitais. No próximo ano, a Termonorte será substituída por máquinas da usina de Santo Antônio.

2)Colocar em operação o transformador na Subestação Coletora Porto Velho – maior segurança no suprimento de energia elétrica;

3)Operar as duas estações conversoras simultaneamente – aumenta a garantia de atendimento aos consumidores do Acre e Rondônia, com um número maior de instalações de transmissão para a transferência de energia das UHEs Santo Antonio e Jirau para a SE Porto Velho.

4)Analisar a viabilidade de separação de máquinas da UHE Santo Antônio – parte da energia fornecida aos Estados seria feita em sistema dedicado, o que garante mais segurança no suprimento caso haja falha nas estações conversoras.

5)Agilizar a conclusão do 3º circuito entre Porto Velho – Samuel – Ariquemes – Ji-Paraná – Pimenta Bueno – Vilhena – Jauru –Hoje há duas linhas ligando Porto Velho ao Mato Grosso. Com a terceira linha, que deverá ficar pronta até dezembro de 2015, mesmo que duas linhas sejam interrompidas, a energia continuará chegando a Porto Velho;

6)Revisão dos Processos de Recomposição – O ONS está revendo seus procedimentos de recolocação em operação, em caso de desligamentos de equipamentos, para que a normalização do sistema seja mais rápida e segura, reduzindo o tempo de transtorno aos consumidores.

Fonte: Assessoria
COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA