Após chuva, solo cede, prédio inclina e terá que ser demolido, em RO

predioUm prédio residencial de dois andares inclinou após o solo ceder cerca de 30 centímetros, na Rua Alexandre Guimarães, no Bairro Nova Porto Velho, em Porto Velho, na noite de segunda-feira (15), após uma forte chuva. Na madrugada desta terça-feira (16), a área foi isolada e outros quatro imóveis vizinhos foram interditados, devido ao risco de um desmoronamento. A construção terá que ser demolida.

Segundo o Corpo de Bombeiros, com o peso da estrutura, houve um afundamento da “sapata”, causando uma acomodação no solo, que acabou cedendo. Otávio Aguiar, engenheiro que vistoriou o local na manhã desta terça, disse que a situação é grave e confirmou que o problema é na fundação do prédio. O engenheiro não quis fornecer mais detalhes sobre a vistoria.

Segundo informações de um familiar da inquilina do prédio, que não quis se identificar, moravam no edifício uma idosa de 60 anos, as três filhas e um neto. No sábado (13), uma vizinha notou uma diferença do prédio em relação à parede de um imóvel ao lado e ligou para a moradora. A idosa comunicou o Corpo de Bombeiros, que esteve no local, verificou o desnível e pediu para que os moradores se retirassem, liberando o acesso apenas para que pegassem alguns pertences, até que um engenheiro vistoriasse o terreno.

Na segunda-feira (15), um engenheiro esteve no local e realizou uma vistoria, mas a área não foi isolada. Durante a noite, uma chuva muito forte provocou um desnível maior do solo e na madrugada desta terça a rua foi isolada. Além do prédio, outros quatro imóveis – três casas e uma empresa – estão interditados. As aulas da Escola Petrônio Barcelo, que fica em frente ao edifício, também foram suspensas até que a Defesa Civil e os engenheiros avaliem toda a área.

De acordo com o chefe de operação da Defesa Civil, Paulo Afonso, a proprietária deve contratar uma empresa de demolição para executar o serviço o mais rápido possível. Isso porque, uma linha principal de energia que abastece a área central do município, até os presídios de seguranca máxima na Estrada da Penal, passa em frente ao prédio e, se ocorrer um desmoronamento acidental, toda a energia da cidade pode ser danificada.

A Eletrobrás Rondônia fez o desligamento da rede elétrica e remanejou o fornecimento de luz para outro destino. Segundo a companhia, esse procedimento é comum, para evitar que o abastecimento total da cidade não seja perdido, caso o prédio venha a ruir em cima dos postes.

Fonte: G1

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA