AVALIAÇÃO NEGATIVA DO GOVERNO TEMER VAI PARA 77% EM SETEMBRO, DIZ CNI/IBOPE

temerEm meio a crise política e escândalos envolvendo representantes do governo, a popularidade do Presidente da República Michel Temer continua caindo.  O número de pessoas que consideram o governo “ruim” ou “péssimo” subiu para 77% em setembro. No último levantamento, divulgado há cerca de dois meses, a avaliação negativa do presidente era de 70%. Os resultados são os piores já registrados pela pesquisa feita pelo Ibope encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), que acumula dados desde o governo Sarney, em 1986.

Este é quarto trimestre consecutivo de piora na popularidade de Temer. A avaliação positiva caiu de 5% para 3%, no mesmo período.  A quantidade de pessoas que não confiam no presidente também aumentou de 87% para 92%. Apenas 6% da população dizem confiar em Temer, em julho era 10%.

 

Com relação à maneira de governar, a desaprovação subiu de 83% para 89%, enquanto o de aprovação oscilou de 11% para 7%. Nesse quesito, o maior crescimento na desaprovação ocorreu entre as pessoas com renda familiar de mais de cinco salários mínimos (de 75% para 86%).

As perspectivas com relação ao restante do governo Temer também piorou. Em julho, 65% pensavam que o governo permaneceria ruim ou péssimo, agora 72% da população acham isso. Os que acreditavam que o governo seria ótimo ou bom diminuiu de 9% para 6% em setembro. Entre os que classificam como regular, a avaliação baixou de 22% para 17%.

Para o gerente executivo de pesquisa e competitividade da CNI, Renato da Fonseca, a população ainda não consegue ver recuperação na economia e que a percepção é que o país ainda está em crise. “A recuperação é lenta e não adianta a pessoa ver no noticiário que o desemprego diminuiu e a inflação está sob controle, se tem alguém em casa sem emprego e ela ainda não consegue comprar como antes. A avaliação do governo tem uma relação próxima com o bem estar da população. Se no ano que vem, a população perceber a retomada da atividade, a avaliação pode melhorar”, apontou.

O levantamento foi realizado entre 15 e 20 de setembro e ouviu 2 mil pessoas em 126 municípios do país. A margem de erro estimada é de 2 pontos percentuais para mais ou menos dos resultados.

Meio Ambiente

Excluindo as notícias sobre corrupção, a polêmica liberação para exploração mineral na Reserva Nacional de Cobre e Associados, que repercutiu nas redes sociais por dias, foi o fato mais lembrado pela população. A indignação da população com a medida refletiu nos dados. O aumento da desaprovação com relação às  políticas e ações de meio ambiente subiu de 70% para 79%.

O número de notícias sobre o governo Temer que saíram na imprensa nas últimas semanas também cresceu, como considera 68% dos entrevistados. Questionados sobre o assunto, 23% citaram, espontaneamente, notícias sobre corrupção no governo, sem especificar. No total, 44% dos entrevistados mencionaram matérias relacionadas à corrupção, sendo que 9% citaram notícias que envolviam diretamente o presidente.

Dilma

Em comparação com o governo da ex-presidente Dilma Rousseff, a parcela da população que considera que o governo Temer pior do que o da petista cresceu de 52% para 59%. Para 31%, os governos são iguais, ante 35%, na pesquisa anterior. A avaliação de que o governo é melhor do que a gestão anterior caiu de 11% para 8%, entre julho e setembro.

Fonte: 010 – correiobraziliense

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA