Comércio de Porto Velho espera alta nas vendas para Dia dos Namorados

ComercioO Dia dos Namorados é nesta sexta-feira (12) e lojistas e vendedores de Porto Velho estão otimistas em relação às vendas, mesmo com a crise financeira no país e movimento fraco no comércio da capital. Em meio ao desemprego e endividamento, consumidores freiam gastos, mas os comerciantes preferem esquecer as dificuldades crise e apostar no amor e importância da data.

“Nós sabemos que brasileiro sempre deixa pra última hora. E também sabemos que essa data exige um pouco mais de atenção, porque sempre queremos agradar o parceiro. A palavra crise não existe aqui. Nas dificuldades estão as oportunidades”, justifica o gerente de uma loja de roupas, Welington Moreira.

Segundo Welington, a loja onde gerencia está preparada com produtos e competência dos funcionários. Ele espera aquecer as vendas em 20% a mais do que o ano passado que conseguiu lucro a mais de 10%. Para o gerente, a crise é apenas um momento delicado, mas a data é um evento especial que não pode passar em branco.

A voz da experiência confirma a queda das vendas. Maria Aparecida, mais conhecida como “Aparecida da Milla”, trabalha há 25 anos como vendedora e diz que as vendas caíram, mas que “sempre espera o melhor” das vendas e dos clientes.

Há tanto tempo atuando no campo de vendas, a vendedora conta que os principais itens de venda no dia dos namorados são roupas íntimas ou acessórios como bolsas, óculos e carteiras.

“Mulher gosta de dar mais presente que homem, mas já vi muitos homens mais românticos que a própria namorada. Eles gostam de dar peças íntimas, apimentadas, eu fico até meio assim, mas a gente leva na esportiva. Já a mulher gosta de dar cueca tipo box, porque diz que o homem se sente mais macho”, conta aos risos, Aparecida.

Na loja vizinha, uma vendedora diz que as vendas aumentam em 100% no dia dos namorados. Ela trabalha em uma sexshop e atua no ramo de comércio há cinco anos. Segundo ela, a crise passa despercebida porque há grande potencial de vendas no mercado de sex shop.

A procura por produtos parte de pessoas de ambos os sexos, desde clientes antigos a novos. “Mesmo com a crise, estamos com as vendas equilibradas. No Dia dos Namorados então as vendas aumentam em 100%. O povo sempre dá um jeitinho de apimentar a relação independente da crise”, diz.

Com as várias opções no mercado, a ambulante Daniele Souza que trabalha com vendas dispensou pesquisa e comprou um perfume de uma marca de cosméticos que a amiga revende. Casada há dois anos, ela diz que não deixaria de comprar o presente porque é uma data importante. “Eu mesma sou muito romântica. É uma data especial e estou ansiosa para saber o que vou ganhar”, conclui.

Primeira queda em 11 anos

Segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), as vendas para o Dia dos Namorados devem cair pela primeira vez em 11 anos. Já em relação a 2014, o volume de vendas do comércio varejista brasileiro deve registrar uma queda de 0,1%, descontada a inflação.

A expectativa é sejam movimentados cerca de R$ 2,4 bilhões, valor correspondente a 3,8% do faturamento esperado para o mês de junho. Esse seria o pior resultado de vendas para o Dia dos Namorados desde 2004 (-0,8%).

Já o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) traçaram um estudo cujo resultado mostra que 52,4% pretendem gastar menos na compra em relação ao ano passado. As principais justificativas desta maioria são o desemprego (25,8%) e o endividamento (24,9%).

Fonte: G1

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA