23.8 C
Nova Iorque
quinta-feira, julho 29, 2021

Crises administrativa em Colorado do Oeste

Desvio de recursos é feito ao olho de todo o povo, e até parece que não existe fiscalização

O município de Colorado do Oeste, no Conesul de Rondônia, passa neste momento por crises até de identidade, pois não existe um vereador sequer que fiscalize como deve ser feito por aqueles que foram eleitos para essa finalidade. O prefeito “deita e rola a bel prazer”.

Mas, pelo menos, temos ainda alguns servidores honestos que não se “vendem” por migalhas que a administração municipal oferece. Vamos aos fatos! O Município contratou no ano passado uma empresa para realizar a revitalização do estádio Municipal ao valor de quase 700 mil reais.

A Construtora Obra °Prima°, capitaneado pelo Engenheiro Anderson Monteiro Gomes da Silva foi o responsável pela execução, só que como acontece com os municípios onde não tem fiscalização, as obras continuaram seu ritmo. Conforme outro Engenheiro da cidade o máximo que foi gasto para realizar a obra deve ter sido 200 mil e o restante foi para o “ralo”, diz ele. E para tentar tampar o sol com a peneira, a prefeitura utilizou seus servidores para passar um pouco de cal em todo o estádio, pintaram de branco até o mato que cobre as cercas. Com a palavra o Ministério Público Federal e ou Polícia Federal.

Foi realizado obras de asfalto na avenida Purus, que termina no DER, só que as obras não foram recebidas pelo Engenheiro Responsável porque toda a obra está fora do padrão e até as bocas de lobo que deveria ter sido construídas em concreto foi feito com tijolos, o que por si, diminui o tempo de vida útil da obra Além das quedas de água ter sido feito mais alto que o planejado, ou seja, a água da chuva deve tomar outro rumo. Com a Palavra o Ministério Público Estadual.

Outro serviço realizado pela Prefeitura é a aplicação de recursos estaduais sob o convênio do Fhita que são realizados com o DER, na Linha 6, rumo Escondido. O Engenheiro mais uma vez não recebeu as obras, pois as mesmas estão fora do padrão do convênio, assim a própria Secretaria de Obras, entrou em desespero e está realizando o serviço com recursos próprios, na tentativa de corrigir a inadequada aplicação de recursos públicos. Com a palavra o Ministério Público Estadual.

São apenas três exemplos que precisam ser revistas por nosso zeloso Ministério Público, pois esperar por vereadores, a fiscalização nunca será feita, pois o único que eles esperam é o repasse de 220 mil reais todo final de mês.

Autor .  Osias Labajos

Notícias relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- anuncio-

Últimas Notícias