23.8 C
Nova Iorque
segunda-feira, julho 26, 2021

DAP não é necessário para produtor receber perfuração de poço em Vilhena, Semagri explica

Diferente do que dizem boatos, Prefeitura atende, sim, produtores que ainda não fazem parte de programas do Município

O programa de perfuração de poços da Prefeitura de Vilhena em parceria com o Governo do Estado não exige DAP (Documento de Aptidão ao Pronaf) nem que o produtor já faça parte de outros programas do Município. A Secretaria Municipal de Agricultura (Semagri) fez nesta sexta-feira esclarecimento sobre boatos inverídicos que estão sendo divulgados e têm prejudicado a adesão de produtores ao programa. Até o fim do ano a meta é perfurar cerca de 200 poços em Vilhena, sendo que 30 requerimentos já estão aprovados.

“Em momento nenhum exigimos o DAP dos produtores para receberem a perfuração de poço. Isso não é requisito para o produtor ser beneficiado. Naturalmente, orientamos a todos que, caso ele possua o DAP, ele será isento das taxas de licenciamento do poço artesiano, cobradas pela Sedam, que emite a licença. Mas, se ele não possuir, não tem problema. Os documentos obrigatórios são apenas: Cadastro de Produtor Rural, o CAR, documentos da propriedade, documentos pessoais do produtor e comprovante de endereço, além, é claro, de parecer técnico ambiental favorável do geólogo do Governo do Estado. Assim, juntando esses documentos, o produtor faz um requerimento simples, recebe a licença para instalação do poço e a Semagri vai fazer a perfuração, com o equipamento que foi doado pela Seagri”, explica a secretária-adjunta municipal de Agricultura, Eliane Aparecida de Souza.

Além disso, a Semagri revela que não há exigência de que o produtor deva já fazer parte de algum programa da Prefeitura para receber o poço. Inclusive, já há produtores beneficiados com a perfuração de poços que não faziam, até então, parte de nenhum dos vários programas executados ou apoiados pela secretaria, como Balde Cheio, Porteira Adentro, PMAA, PAA e outros.

O secretário municipal de Agricultura, Luiz do Mercado, explica que a meta ambiciosa de perfurar 200 poços até o fim do ano envolve agilidade na liberação das autorizações, respeito ao produtor e comunicação correta a respeito do programa. “Para o programa funcionar bem é preciso que as pessoas se informem com a secretaria antes de divulgar informações inverídicas, que acabam causando transtorno, confusão e desestimulam o produtor a aderir ao programa. Temos atenção especial com os pequenos produtores e somos os maiores interessados em fazer isso com a menor burocracia possível, beneficiando produtores de leite, de hortifruti, com os assentados, os que querem trabalhar e progredir”, assegura Luiz.

PRIORIDADE – Dentre os requerimentos feitos, a Semagri coloca como primeiros na fila de recebimento dos poços aqueles que desenvolvam atividades de agricultura. “Entre uma atividade de lazer e o cultivo de alimentos, terá prioridade aquele proprietário de terra que desenvolver atividades agrícolas. Da mesma forma, terá prioridade aquele que já tem produção que é prejudicada pela falta de água. Mas, o que vai iniciar o plantio ainda, que pretende começar na agricultura familiar, este também tem direito normalmente e vai ser contemplado, sim”, garante Eliane.

A perfuratriz de poços foi entregue recentemente ao município de Vilhena por meio de convênio firmado entre o Governo do Estado com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), gerando economia de mais de R$ 11 mil reais aos produtores beneficiados. A equipe da Seagri, acompanhada por um geólogo do Estado, acompanha a execução do trabalho, oferecendo suporte técnico, além de dar andamento aos trâmites da documentação por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam).

 

Semcom

Notícias relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- anuncio-

Últimas Notícias