Defensoria participa de reunião de combate à violência no campo

defensoria-publicaComeçou na terça-feira, 28, e encerra nesta quinta-feira,30, na sede do Incra em Porto velho, a 823ª reunião da Comissão Nacional de Combate à Violência no Campo, com o ouvidor agrário nacional, desembargador Gercino José da Silva. A reunião conta com a participação da Defensoria Pública do Estado (DPE-RO), representada pelos defensores públicos agrário João Verde e lcemara Sesquim Lopes.

A pauta é longa e envolve questões agrárias diversas, entre elas a ocupação da fazenda Boi Vermelho, no distrito Extremo, o reassentamento das famílias de trabalhadores rurais vinculadas à Associação dos Produtores Rurais da Comunidade Curupira, em Campo Novo de Rondônia, o conflito agrário na fazenda Paredão, no município de Machadinho do Oeste.

A programação inclui ainda a destinação da fazenda Guerin, situada no município de Buritis, cuja área é pleiteada pelos trabalhadores rurais sem-terras do acampamento Rio Pardo, e análise do conflito envolvendo trabalhadores rurais sem-terras do acampamento Paulo Freire 2, localizado nos municípios de Nova Brasilândia e Alvorada do Oeste.

Boi Vermelho

Nesta quarta-feira pela manhã foi analisada a situação dos ocupantes da fazenda Boi Vermelho. Há um mês, as famílias foram informadas de que a fazenda estava sendo penhorada em processo que tramita na Justiça do Trabalho do Mato Grosso. Segundo consta, a propriedade pertence a uma transportadora daquele estado, que decretou falência e não pagou os direitos trabalhistas dos empregados.

O sindicato que representa os trabalhadores acionou a Justiça do Trabalho solicitando a penhora de todos os bens pertencentes à transportadora. A empresa tem três fazendas em Extrema, incluindo a Boi Vermelho. Por ser uma ocupação recente, o Incra ainda não fez o levantamento detalhado da área. São cerca de 50 famílias vivendo na propriedade.

Fonte: Defensoria Pública

 

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA