Decisão de mandar os filhos para as aulas presenciais ficou a critério dos pais e responsáveis

PORTO VELHO – Um ambiente escolar diferente aguarda os estudantes da rede municipal de ensino. Com o retorno presencial marcado para a próxima segunda-feira (16), a Prefeitura de Porto Velho implementou todas as medidas sanitárias para proporcionar uma retomada segura das aulas.

Medidas sanitárias foram adotadas para proporcionar uma retomada segura das aulas

Paralisadas há mais de um ano, em virtude da pandemia da Covid-19, o retorno gradual das atividades só foi possível graças ao avanço da vacinação e priorização dos professores pela Prefeitura, conforme a secretária municipal de educação, Gláucia Negreiros: “Aguardamos 10 dias após a aplicação da segunda dose aos professores. O retorno oficial será escalonado e, por isso, teremos acompanhamento diário nesta fase”, explica.

O município tem 141 escolas nas zonas urbana e rural, mas só 50% retornam com as aulas presenciais agora. Uma delas é a Escola Municipal Saul Bennesby, localizada no bairro Eletronorte, na zona sul de Porto Velho. A unidade passou por várias adaptações para receber os alunos.

Cristina Godoy, diretora da escola Saul Bennesby

O acompanhamento começa logo na entrada, com aferição de temperatura. Há uma pia para a lavagem das mãos, um totem com álcool em gel 70% e marcação no chão indicando o distanciamento. Nas salas de aula, o número de mesas foi reduzido e o mesmo aconteceu no refeitório, que receberá uma turma por vez nos intervalos e horário de alimentação.

A diretora da escola, Cristina Godoy, explica que a estratégia encontrada foi aplicar um rodízio entre os alunos para evitar aglomerações.

“Dividimos os estudantes em três grupos. O primeiro grupo virá quatro dias por semana à escola, enquanto o restante seguirá com as aulas remotas. Na semana seguinte, será a vez do segundo grupo e assim por diante. Essa foi a forma encontrada para que todos possam retornar com a devida segurança”, explica a gestora.

Eduardo Silva, pai de aluno

A decisão de mandar os filhos para as aulas presenciais ficou a critério dos pais e responsáveis. Eduardo Silva é pai de um estudante e visitou a escola para conferir os protocolos de saúde antes do retorno do filho.

“Estamos mais tranquilos agora, pois víamos que nossas crianças sentiam falta da escola, dos professores e dos amigos. É possível ver que os protocolos estão corretos”, afirmou o pai.

Há muita expectativa, também, entre os professores. Lídia Mendonça ministra aula no 1º ano do Ensino Fundamental. Ela destaca a importância da sala de aula no processo de aprendizagem dos estudantes.

O retorno oficial das aulas será escalonado

“A criança precisa de apoio presencial e da figura do professor nesse momento de alfabetização. O abraço ainda vai ter que esperar, mas o retorno delas à sala de aula já é um grande avanço”, avaliou a professora.

HISTÓRICO

Ainda em 2020, a Semed criou um plano de contingenciamento para o enfrentamento da Covid-19, que previa a conscientização da comunidade escolar.

Depois, foi criado um comitê de gestão e decisão para avaliar os riscos no âmbito educacional. A partir daí, a Prefeitura elaborou o plano de retorno das aulas presenciais.

Ao todo, mais de R$ 5 milhões foram aplicados na aquisição de álcool em gel, termômetros, tapetes sanitizantes, totens, protetores faciais, máscaras e sinalizações.

Texto: Pedro Bentes
Foto: Wesley Pontes