Excesso de carga seria causa de prejuízos na BR-364

BalançaA ausência de fiscalização, a leniência nas providências e os prejuízos provocados na BR-364 pelo excesso de carga, que resvalam diretamente na economia de Rondônia, foram decisivos para que o deputado Federal Marcos Rogério cobrasse um posicionamento do Ministério dos Transportes e Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (Dnit) sobre a operação e a fiscalização na Balança de Pesagem, em Ouro Preto D’ Oeste.

A omissão do poder público se arrasta desde 2014 com 20% dos caminhões, carretas e bitrens trafegando com excesso de carga.
“Essa balança é extremamente importante não somente para Rondônia, mas para todo o Norte do País. Já constatamos uma série de problemas em recente inspeção com a diligência do Senado Federal, parte em razão da má qualidade da obra.

Infelizmente o excesso de peso agrava ainda mais a situação na BR 364”, ressaltou Marcos Rogério, deputado federal.

Para o parlamentar a balança nunca funcionou plenamente. “Já foram feitas inúmeras reformas e hoje está desativada mais uma vez. Vou encaminhar essa demanda ao Ministério dos Transportes e Dnit, e pedir providências urgentes, por que uma rodovia como a nossa não pode ficar desguarnecida e vulnerável à sobrecarga, isso representa prejuízos aos usuários da rodovia e ameaça a segurança de quem trafega na BR”, comentou.

Marcos Rogério lamentou a demora do poder público na tomada de providências. “O que nos impressiona, é que o contrato com o Consórcio de Operação das Rodovias (COR) com o Dnit encerrou no dia 14 julho de 2014. Todos os aditivos já foram utilizados e sem possibilidade de renovação. Imediatamente deveria ocorrer a abertura de um novo processo licitatório, infelizmente isso não aconteceu”, questionou Marcos Rogério.

Segundo ele, a própria Polícia Rodoviária Federal já constatou abusos em caminhões com cargas de até 40 mil quilos acima do permitido. “Dos três mil veículos que eram fiscalizados, mais de 20% tinham excesso de carga. Os prejuízos são visíveis da malha viária. Tem ondulações em vários trechos da BR, sabe por quê? Excesso de carga. Segundo o Exército Brasileiro trafega por dia, em média de 1,5 mil a 2 mil carretas, caminhões e bitrens”, explicou.

O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) em parceria com a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) estabelecem normas operacionais sobre os limites de carga, conforme o conjunto de eixo de cada veículo, peso que varia de seis mil até o limite de tolerância de 26,7 mil. “O problema é o desrespeito praticado todos os dias. Por isso de minha pressa e preocupação na cobrança de providências”, detalhou Marcos Rogério, deputado. (AI)

Fonte: Assessoria

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA