Falta de soro antirrábico preocupa secretaria de Saúde em Cacoal, RO

CaoO soro contra a raiva está em falta nas unidades de saúde de Cacoal (RO). De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), o problema é nacional e ocasionado pela dificuldade de produção do produto. De janeiro a julho deste ano, 260 pessoas procuraram atendimento nos postos municipais após serem atacadas por animais.

Conforme a coordenadora de Vigilância em Saúde, Ivani Gromann, o tratamento de pessoas que são atacadas por animais é feito com a aplicação da vacina antirrábica. Em situações onde o animal apresenta os sintomas de raiva o paciente precisa receber também o soro antirrábico.

Como o produto está em falta no mercado, Ivani recomenda à população que não sacrifique o animal agressor e nem deixe que ele fuja. “O ideal é que o animal fique em observação por 10 dias, período em que os sintomas da raiva aparecem. Caso o animal apresente os sintomas, a pessoa agredida terá que tomar o soro antirrábico”, explica.

Conforme Ivani, ainda não há uma data definida para a normalização da distribuição dos soros, porém ela alerta a pessoa que for atacada deve procurar de imediato uma unidade de saúde para iniciar o tratamento, que será direcionado pelas informações do paciente e por meio de observação do comportamento do animal.

A doença
A raiva é uma doença que passa dos animais ao homem. Essa enfermidade é transmitida ao ser  humano pela inoculação do vírus presente na saliva e secreções do animal infectado, principalmente pela mordedura e lambedura.

Os sintomas da raiva são característicos e variam no animal e no ser humano. O animal geralmente apresenta dificuldade para engolir, salivação abundante, mudança de comportamento, mudança de hábitos alimentares e paralisia das patas traseiras.

Vacinação
A partir dos três meses de idade, cães e gatos sem exceção, devem ser vacinados contra raiva todos os anos, incluindo lactantes, cadelas prenhes ou no cio.

Fonte: G1
COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA