Hospital Regional de Cacoal realiza campanha sobre doação de órgãos

CampanhaEm alusão ao Dia Nacional de Doação de Órgãos, que será comemorado no dia 27 de setembro, o Hospital Regional de Cacoal (RO), a 480 quilômetros de Porto Velho, iniciou nesta segunda-feira (21) a Campanha de Doação de Órgãos. De acordo com a assistente social do Hospital regional, Risany Jaconi, o fundamental é que as pessoas conversem sobre o tema em casa e que, ainda em vida, deixem claro para a família sobre a vontade de doar seus órgãos.

De acordo com a assistente, várias ações estão sendo realizadas para captar possíveis doadores. No mês intitulado como “Setembro Verde”, a população é convidada para a reflexão sobre a importância da doação dos órgãos.

O hospital de Cacoal atua há três anos com a comissão intra- hospitalar de captação e doações de órgãos, que atual na averiguação e acompanhamento dos potenciais doadores. “Um dos maiores fatores que vem sendo observado é a de que os casos sejam discutidos em vida, ou seja, que o paciente deixe claro sua vontade em doar seus órgãos, tornando um pouco menos complexo esse momento tão doloroso”, diz Risany.

Nos três anos de atuação da comissão intra-hospitalar, a unidade hospitalar já conseguiu seis doações de órgãos. A campanha para doação segue até o dia 28 de setembro.

Esperança

Campanha1A meta do hospital é mais do que triplicar o número de doadores, já que existem muitos pacientes esperando um único órgão para continuarem vivos.  O aposentado Valdemir Delfino Carvalho, de 42 anos, convive com a hemodiálise há mais de dois anos. O nome dele está na lista de espera para conseguir um rim compatível, onde possa ser transplantado.

Enquanto isso não acontece, Valdemir realiza três hemodiálises semanais, com sessões que chegam a durar quatro horas. “A minha família não pode doar, pois não são compatíveis comigo. Eu estou na expectativa, e eu acho que as famílias poderiam doar os órgãos dos seus parentes, pois se já perdeu aquela pessoa querida, esses órgãos poderiam reerguer uma outra vida”, diz.

Fonte: G1

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA