Incentivo à cultura de bananas

BananasMais de 300 pessoas entre produtores rurais e alunos das escolas de Ensno Fundamental e Médio do distrito de União Bandeirantes, distante 170 quilômetros de Porto Velho, reuniram-se na propriedade do agricultor Audenir Fontenelli da Silva para conhecer novas tecnologias visando melhorar o cultivo da banana prata, maçã, mineira e de fritar produzida naquele distrito.

O dia de campo para incentivar a cultura de banana, organizado pelo gerente regional da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), Hilton Uchoa das Neves, na sexta-feira (26), teve como objetivo, além de mostrar as novas tecnologias no combate à Sigatoka Negra e Mal do Panamá, incentivar a cultura do cacau consorciado com bananas, assim como a diversificar a produção, para que os produtores rurais obtenham melhor renda em suas pequenas e médias propriedades.

União Bandeirantes produz e abastece Porto Velho, com 1,2 mil toneladas de banana/ano, com 8 mil toneladas de mandioca, 20 mil sacas de 60 quilos de milho, produzindo também 35 mil sacas de 60 quilos de café do tipo conilon, 60 mil litros de leite/dia, em 5 mil propriedades rurais, apresentando um rebanho bovino de 125 mil cabeças, sendo que 34 mil se destacam na produção de leite, conforme relata Osmar Alcântara, gerente local da Emater.

Exemplo de produtividade

Bananas1Os alunos que participaram do evento todos residem na área rural e são filhos de agricultores, e, foram ali para conhecer e aplicar na prática o que aprenderam com as orientações técnicas de acordo com o pequeno produtor rural Audenir Fontenelli da Silva. Ali, numa área de 2,5 hectares, Audenir cultiva um hectare de banana com mil pés da fruta irrigada, sendo que no primeiro corte ele colhe 600 caixas de 20 quilos que são comercializadas a cada 6 meses na capital, entre R$ 20 e 25 a caixa.

Com a mulher e um filho, Audenir ainda explora no restante da propriedade, batata doce, abóbora, milho verde e mamão. A queixa de Audenir, assim como da maioria dos produtores e do presidente da Cooperativa dos Produtores de União Bandeirantes, Paulino Meneguelli, é com a falta de apoio do município de Porto Velho para que eles possam instalar um entreposto na capital para vender direto ao consumidor escapando dos atravessadores, que acabam lucrando mais do que os próprios produtores rurais.

Para o presidente do Sindicato dos Agricultores e Agricultoras de Porto Velho, Luiz Pires, em União Bandeirantes, a produção está sobrando, o que está faltando é investir para afastar os atravessadores. Na opinião dele, é necessário organizar a comercialização, para que o produtor possa ganhar mais na venda e o consumidor pagar menos na aquisição de produtos que são de boa qualidade. Luiz Pires defende a implantação de um mini Ceasa afastando de vez esse gargalo.

Bananas2Começo e pioneirismo

No início do ano 2000, o produtor rural Alvim Zilske, adquiriu no município de Rolim de Moura, 30 mudas de banana da terra e maçã transportando e cultivando em União Bandeirantes. O pioneirismo dele em 15 anos tornou o distrito em grande produtor desta fruta. Atualmente, Alvim cultiva um alqueire de banana e busca um financiamento de R$ 10 mil para ampliar a produção, consorciando com milho verde irrigado e macaxeira, recordando que percorria de bicicleta vendendo bananas que muita gente não acreditava que estavam sendo produzidas ali.

Na safra agrícola 2014/2015, o Banco do Brasil, segundo o gerente da Emater Hilton Uchoa das Neves, financiou 750 produtores rurais em União Bandeirantes com investimentos de R$ 42 milhões. O Banco da Amazônia, por outro lado possui linhas de crédito para atender os pequenos e médios produtores rurais daquele distrito.

Fonte: Diário da Amazônia

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA