Infraero cobra taxa de funcionários

estacionamentoNo início deste mês os funcionários da categoria II que trabalham no Aeroporto Internacional Governador Jorge Teixeira de Oliveira, em Porto Velho, foram surpreendidos com uma informação de que teriam que pagar uma taxa de estacionamento de R$150,00 e R$ 75,00, por mês, para carros e motos, respectivamente. Segundo Jaqueline Lopes, funcionária de uma empresa de táxi-aéreo, os avisos sobre a mudança foram afixados no mural dos funcionários, porque a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) terceirizou esses serviços.

De acordo com Jaqueline a empresa terceirizada é a Silva Parking Service, que fixou as taxas sem antes reunir a comunidade aeroportuária para discutir os valores. “Nós não queremos pagar nada pelo estacionamento, pois é um direito nosso”, declara. Os funcionários afirmam que o estacionamento exclusivo para as pessoas que trabalham no aeroporto da Capital está em precárias condições; não tem marcação de espaços entre os veículos e apresentam grandes falhas no piso (buracos e grama crescida). Além disso, alegam que não podem pagar as taxas exigidas pela terceirizada e que por isso estão deixando os veículos fora do estacionamento, correndo riscos de multas e de roubo.

De acordo com o funcionário F. R. Z, o valor cobrado pela empresa terceirizada é abusivo. “Eu passei um tempo trabalhando em Brasília e lá eu pagava R$140,00 para deixar meu carro em uma área coberta. Aqui eles querem cobrar R$150,00 para o carro ficar pegando sol e chuva. Isso é um absurdo. Acho que esse estacionamento deveria ter passado por uma grande reforma primeiro. Eles não podem só sair cobrando uma taxa dessas sem oferecer a estrutura mínima” expõe.

FUNCIONÁRIOS PEDEM REVISÃO DOS VALORES COBRADOS

Diante da atual situação, os funcionários do aeroporto da Capital decidiram encaminhar, hoje, um documento com mais de 300 assinaturas ao Ministério Público Estadual (MPE) e Ministério Público Federal (MPF), pedindo para que sejam revistos os valores que eles consideram abusivos, na cobrança do uso do estacionamento. No abaixo-assinado, que tem como representante o comandante Ayrton Brasil Ribeiro, os aeroportuários fazem um comparativo com a taxa cobrada no aeroporto Santos Dumont (RJ), na categoria I, que é de R$ 2,70 por dia. Entretanto, no regulamento do estacionamento comunitário, elaborado pela empresa que atualmente administra o estacionamento do Jorge Teixeira, consta que a tarifação será conforme a tabela previamente aprovada pela Infraero e que somente estarão isentos os veículos com solicitação prévia, incluindo carros oficiais e viaturas descaracterizadas.

A funcionária, C. A. B, que trabalha há 05 anos no aeroporto, relata que por mês tem uma despesa alta com gasolina, uma vez que o aeroporto fica distante de quase todos os bairros da cidade, ela calcula que gasta em média R$300,00/mês de combustível. “Eu ganho R$1.200,00 para trabalhar 06 horas, tirando o que gasto com gasolina, me sobra R$900,00, se eu tiver que pagar mais R$150,00 de estacionamento não terei condições de viver com R$750,00. Esse valor precisa ser revisto, não podemos aceitar de cabeça baixa”, diz.

Outro item exigido é de que o pagamento do usuário mensalista deverá ser efetuado antecipadamente no caixa da guarita, situado à entrada do estacionamento. A reportagem do Diário entrou em contato com a superintendência da Infraero, em Porto Velho, mas até o momento não houve nenhum pronunciamento sobre o assunto. Informamos também que não conseguimos, durante amanhã de ontem, comunicação com a direção da empresa que atualmente administra o estacionamento do aeroporto Governador Jorge Teixeira, que atualmente tem capacidade de receber 920 mil passageiros por ano e opera com as principais companhias aéreas nacionais e regionais.

PRINCIPAL COMPLEXO AEROPORTUÁRIO DO ESTADO

O aeroporto de Porto Velho é o principal complexo aeroportuário do Estado. O terminal fica a cerca de sete quilômetros do centro da cidade. Passou à condição de aeroporto internacional em fevereiro de 2002, estando localizado a 88 metros de altitude. Segundo dados de 2012, o aeroporto da Capital rondoniense é o 3º mais movimentado da região Norte e o 26º no ranking nacional, recebendo voos diários de Brasília, Belo Horizonte, Cuiabá, Manaus e Rio Branco, dos municípios do interior de Rondônia, como Ji-Paraná e Vilhena e do interior do Amazonas: Humaitá, Lábrea e Manicoré. Também de lá saem voos para Porto Alegre, com escalas em Campinas, Rio de Janeiro, Cuiabá, Campo Grande e Curitiba; para São Paulo, com escala em Brasília e Cuiabá; e para Fortaleza, com escala em Manaus e Belém, além de outros destinos com menor fluxo de passageiros.

Fonte: Diário da Amazônia

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA