O advogado e jornalista Luiz Paulo, pré-candidato a deputado estadual pelo Partido Progressista (PP), legenda pela qual ele ocupa  o cargo de Secreetário-Geral desde 2018, afirmou que a agremiação reúne em seus quadros políticos bem respaldados pela população e está organizado em quase todos os municípios do Estado. Ele ressaltou que, em Cacoal, o PP está representado pelo vice-prefeito Cássio Gois, que trabalha em sintonia com o prefeito Adailton Fúria.

Como secretário, Dr Luiz Paulo tem participado, junto com a deputada federal Jaqueline Cassol, da organização do partido no Estado. Ele destaqua que o partido tem trabalhado ativamente na formação política de seus filiados e o objetivo é ampliar sua participação na Assembleia Legislativa, o que dará à legenda maior capacidade de atuar nos municípios e investir na liberação de recursos para atender a população principalmente nas áreas de infraestrutura e saúde pública, duas das principais bandeiras da deputada e citou como exemplo os mais de 50 milhões de reais em emendas liberadas para atender os municípios da Zona da Mata e Região Central do Estado.

“Estamos presentes e organizados em 46 municípios de Rondônia, ocupando cargos eletivos em várias cidades, tanto no Executivo quanto no Legislativo. Poderíamos estar com representação formalizada e regular nas 52 cidades se não fossem as restrições da pandemia, mas atingiremos 100% até o final deste ano”, ressaltou o secretário do PP.

Dr Luiz Paulo ressaltou, ainda, que o partido conta com lideranças que têm um estreito relacionamento com a população, ouvindo seus anseios e reivindicações. “Hoje as pessoas entendem a importância de participação política e reconhecem que o PP, através de suas lideranças, quer ampliar o quadro político na Assembleia Legislativa com o objetivo de trabalhar pelo desenvolvimento do estado e ampliar os investimentos em áreas tão importantes para a vida dos cidadãos que são a Saúde Pública e Infraestrutura, além de também atuar em favor de outras áreas, com foco especial em atender aos produtores rurais, com mais estradas e outros recursos.

Conforme informações do Dr Luiz Paulo, em relação às eleições em 2022, as discussões ocorrem no âmbito interno e o partido tem pelo menos 10 nomes com grande representatividade,  que vão buscar o seu espaço político na composição de nominatas às eleições proporcionais.

“Nossos pré-candidatdos são pessoas que se destacam em várias áreas, como profissionais liberais, funcionários públicos, vereadores e lideranças que já concorreram a cargos eletivos, incluindo mulheres, que em nossa composição não participam apenas para cumprimento de cotas estabelecidas pela lei, mas sim porque se mostram propositivas e com potencial de vencer a disputa e exercer mandatos efetivamente”, explicou.

Dr Luiz Paulo ressaltou também que deputada Jaqueline Cassol é hoje uma alternativa para a disputa ao Senado. “Ela está disposta a se lançar ao desafio, pensando de forma coletiva com relação ao partido, pois abre espaço para o surgimento de candidaturas de peso na campanha para a Câmara Federal, e dado ao seu trabalho e empenho pela consolidação do PP em Rondônia, essa perspectiva é vista com bons olhos pelas lideranças nacionais do partido”, garantiu.

Sobre a possibilidade de disputar também o governo do Estado, Dr Luiz Paulo diz que o partido sonha com a reabilitação política do ex-governador Ivo Cassol, embora reconheça que seja uma questão complicada, que depende de decisões que serão tomadas no segundo semestre ou no máximo no início do próximo ano.

SITUAÇÃO DO SENADOR E EX-GOVERNADOR IVO CASSOL
O Partido, segundo ele, tem esperança na possibilidade de o ex-governador entrar novamente no páreo, mas ressalta que  se isso não for possível, há estudos para a apresentação de outro nome ou mesmo de composição com outra agremiação política que esteja em sintonia com a visão progressista do partido e o seu compromisso por mais investimentos em saúde pública e infraestrutura.

Luiz Paulo também falou o que pensa sobre a administração do prefeito de Cacoal, Adailton Fúria, e opinou sobre o que pensa da maneira como o governador do Estado, Marcos Rocha, lidou com a questão do enfrentamento à pandemia do coronavírus.

No caso de Cacoal, ele avalia que a dupla Adailton Fúria (PSD) e Cássio Góes (PP), vem realizando um bom trabalho, tendo começado a gestão “com o pé direito”. Ele destacou investimentos na saúde, educação e setor produtivo, qualificando-as como muito relevantes, e qualificou como louvável  a atitude da administração municipal em não atender o governo do Estado em relação ao “lockdown”, decisão essa que, segundo ele, foi o que que salvou o comércio de Cacoal de uma catástrofe. Mesmo assi, ele ressalta que Adailton Fúria não fugiu às suas responsabilidades nessa questão sanitária e tomou medidas muito importantes no enfrentamento à pandemia, como foi a implantação do Hospital de Campanha e seriedade com que se dedicou à vacinação da população contra a covid-19.

Já em relação ao governador Marcos Rocha, o secretário do PP disse que o Estado deveria atuar na contratação de médicos formados em em outros países para atuarem, ainda que em caráter emergencial, pois não existem muitos médicos dispostos a atuarem no serviço público e esse pessoal formado no exterior iria ajudar aos médicos que já atuam no âmbito estadual a evitar o colapso na saúde pública nesses tempos difíceis.

“Ele promulgou a lei, mas não contratou ninguém nesse momento em que existe carência de médicos para atender a grande demanda criada em virtude dessa situação excepcional. Em meu ponto de vista, o governador Marcos Rocha deveria tomar alguma atitude para fazer com que a lei saia do papel e se torne algo prático para à população, mas fez o dever de casa”, concluiu.

Com informações do Extra de Rondônia