Mandato de prefeito de Cacoal vai a julgamento nesta quarta feira (16)

camaraO prefeito de Cacoal (RO), Francesco Vialetto (PT), será julgado nesta quarta-feira (16) na Câmara de Vereadores e poderá ter o mandato cassado. O chefe do executivo foi investigado por uma Comissão Processante (CP) formada no mês de junho par apurar denúncias da Operação Detalhe, do Ministério Público de Rondônia (MP-RO) e Polícia Civil.. O pedido de abertura do processo foi feito pela vereadora Maria Simões (PT).

A parlamentar alega que o prefeito de seu partido foi omisso e negligente aos fatos apurados na operação. “Mesmo que o prefeito não tenha cometido o crime diretamente deve ser responsabilizado por infração político-administrativa, negligência e omissão, pois foi alertado diversas vezes e defendeu o grupo”, comenta Maria Simões.

A comissão foi formada no dia 15 de junho durante sessão da Câmara, porém os trabalhos só tiveram início no dia 22 do mesmo mês, após notificarem o prefeito. A comissão foi presidida pelo vereador Celso Adame (PDT), Rafael Evangelista (DEM) que é o relator e Raquel Carvalho que ficou como membro (PMDB).

“O prefeito já foi intimado, o relatório da Comissão foi concluído e todos os vereadores receberam uma cópia do relatório final, porém isso é só um suporte para ajudar os vereadores a votarem. O voto é pessoal”, esclarece Celso Adame, afirmando que o relatório final pede a cassação do prefeito, por terem encontrado procedência nas acusações.

Para concluírem o documento, os vereadores responsáveis pela Comissão tiveram acesso a todos os áudios e laudos da investigação da Operação Detalhe, realizada pela Polícia Civil e Ministério Público.

O julgamento do prefeito está marcado para as 18h30 de quarta-feira (16) na Câmara de Vereadores, durante uma sessão extraordinária. Os votos serão abertos e nominais e toda a população poderá assistir. Através dos votos os vereadores terão o poder de cassar o mandato do prefeito ou arquivar o processo.

prefeito_cacoalFonte: G1

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA