Obra paralisada de creche revolta moradores de Cacoal, RO

CrecheMoradores do bairro São Marcos, em Cacoal (RO), município distante cerca de 480 quilômetros de Porto Velho, reclamam da paralisação da obra de uma creche que deveria ter sido entregue neste mês, conforme a placa de execução da obra. O bairro é um dos mais carentes do município e a creche será a única instituição de ensino do local.

Segundo as informações da placa de execução, a obra foi iniciada em novembro de 2014 e deveria ser entregue no dia 10 de junho de 2015, mas até agora apenas parte do muro foi levantado. De acordo com os moradores, a obra, que é orçada em mais de 1.700 milhões, com recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), do Governo Federal, está parada há cerca de 3 meses.

O pedreiro Naicon Barroso Matos diz que o atraso prejudica muitas mães de família que dependem da creche para que possam trabalhar. “Têm muitas mães que necessitam dessa creche para poder trabalhar, tendo em vista que o bairro é bem afastado do Centro. Como a obra não avança, elas têm que ficar em casa passando necessidades, por não terem com quem deixar as crianças”, fala.

A dona de casa, Girlene da Silva, é uma das mães que esperam ansiosas pela creche. Sem ter com quem deixar o filho de 3 anos, ela lamenta a situação. “Fiquei feliz quando começaram a obra, mas logo pararam os trabalhos. A única coisa que avança no local é mato. A gente não pode fazer nada, a não ser esperar pela boa vontade dos responsáveis”, lamenta.

De acordo com a Secretaria Municipal de Educação (Semed), a obra foi orçada e licitada pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), no entanto, a empresa vencedora decidiu abandonar o serviço depois de ter um pedido de realimento de preços negado pelo órgão. Ainda de acordo com a Semed, a obra deve ser licitada novamente, agora pela prefeitura, porém, não há um prazo especifico para o início dos trabalhos. A secretaria esclarece também que não houve gastos para o município com a obra.

O bairro São Marcos fica distante cerca de 5 quilômetros do Centro da cidade e não tem transporte coletivo. Cerca de 330 famílias residem no bairro. Depois de pronto o centro educacional infantil deve atender, segundo a Semed, cerca de 250 crianças de 6 meses a 5 anos de idade.

Fonte: G1

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA