Pais de alunos fecham escola em Corumbiara

Pais de alunos fecham escola em Corumbiara

corumbiaraPais de alunos que moram no acampamento Santa Elina, região do município de Corumbiara, fecharam por tempo indeterminado a escola municipal Pé da Serra, que atende cerca de 130 alunos do assentamento. O motivo da ação, segundo os cerca de 40 pais de alunos que tomaram o local, é em repúdio ao descumprimento de promessas feitas pelo prefeito Deocleciano Ferreira (PTB) durante a reunião que ganhou o nome de “1º Grito da Terra Municipal”, evento realizado na prefeitura no dia 13 de abril, que reuniu moradores de toda a zona rural de Corumbiara, que cobravam do prefeito melhorias das estradas rurais, bem como mais investimentos no perímetro rural. Deocleciano havia garantido obras imediatas para sanar os problemas, e não cumpriu com o prometido.

Revoltados, os pais de alunos tomaram a escola, pediram para que os demais estudantes retornassem às suas casas, e aguardam uma posição do prefeito. A equipe de reportagem tentou contato com alguns pais de alunos que estão no local. Genivaldo Ribeiro de Amorim relatou que o grupo escolheu a escola porque os estudantes que moram no assentamento Santa Elina estão sem poder frequentar as aulas há semanas, porque o ônibus que passar na região para buscá-los não está dando conta de transitar nas estradas tomadas por atoleiros e buracos.

Genivaldo relatou que os pais não acham justo as aulas prosseguirem sem que os estudantes possam acompanhar a apresentação das disciplinas. Pelas redes sociais, professores da própria instituição e ensino, e de outras que compõem a rede da zona rural, confirmaram o descaso com o ensino público municipal. Segundo o professor Adalto Abel Crist, 30% dos alunos da escola Disneylândia, em Corumbiara, estão sem notas ainda do primeiro bimestre em decorrência do transporte escolar irregular.

Por telefone, alguns servidores públicos do município de Corumbiara relataram que em algumas escolas da zona rural o ano letivo sequer iniciou. O exemplo maior é o da escola Helicônia, que está ilhada por conta das péssimas condições da estrada. O Diário da Amazônia tentou contato com o prefeito Deocleciano por telefone, porém até o fechamento desta edição ele não havia sido encontrado.

Grito

Revoltados com o descaso da prefeitura municipal, um grupo de camponeses liderados pelo Sindicato de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Corumbiara tomaram a prefeitura municipal para exigir uma reunião com o prefeito Deocleciano.

A quantidade de camponeses era tamanha que engessou a rotina dos servidores públicos municipais. Acuado, o prefeito cedeu à pressão e se reuniu com os manifestantes. A pauta de reivindicações era tão grande que a audiência tomou parte da noite. A principal reivindicação era melhorias definitivas nas estradas, que além de emperrar o escoamento da produção, estava trazendo problemas sérios aos camponeses, bem como alguns acidentes fatais.

O prefeito havia prometido ação rápida para a solução dos problemas. As promessas foram registradas em ata arquivada pela diretoria do sindicato.

Fonte: Diário da Amazônia

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA