Prefeitura de Vilhena decreta luto de 3 dias após filho de Rover ser morto com tiro

familia_roverA prefeitura de Vilhena (RO), no Cone Sul do estado, decretou luto oficial de três dias após o filho do ex-prefeito José Luiz Rover ser morto com um tiro, durante um assalto. O crime ocorreu na noite de sexta-feira (25), na casa da família.

A atual prefeita da cidade, Rosani Donadon (PMDB), declarou em uma nota que “Vilhena está de luto pelo falecimento do jovem Luiz Eduardo Silva Rover” e por isso decidiu decretar luto oficial de 3 dias. O decreto foi assinado no sábado (26).

decretoNa página oficial em uma rede social, Rosani ainda escreveu: “Deixamos nossas condolências e solidariedade a toda família. Desejamos que Deus, com sua infinita bondade, possa confortar o coração de cada familiar e principalmente dos pais!”.

Repercussão entre autoridades

A morte do filho do ex-prefeito também causou comoção entre outras autoridades da cidade. O vereador Rafael Maziero (PSDB) postou em uma rede social que “Vilhena chora a perda de mais uma vida”.

Maziero também fala sobre quem foi a vítima da violência local: “Desta vez, uma vida jovem e inocente de tudo, com coração bom e bem querida por todos que lhe cercava. Peço a Deus conforte os nossos corações e que nos dê sabedoria para entender o porquê deste ato tão covarde e bárbaro, e que acima de tudo dê forças para os pais e familiares.

O vereador Samir Ali (PSDB) também declarou solidariedade para a família do ex-prefeito.

“Os mais sinceros sentimentos e condolências à família Rover pela trágica perca do jovem Luiz Rover. Que Deus conforte o coração dos familiares e amigos neste momento de dor. Que a luz e o amor divino pairem sobre os que sofrem esta imensurável perda e os console.

“A alegria e a bondade marcaram a vida do jovem Luiz Eduardo, qualidades fundamentais para a sagrada família, o que enseja a ele paz junto a nosso Senhor”, disse o vereador França Silva (PV) em um comunicado.

O deputado estadual Jesuíno Barbosa (PMN) também lamentou a morte do filho de Rover. “Que Deus conforte o coração de toda família nesse momento tão delicado e que Justiça seja feita”, disse em uma nota oficial.

Crime

Em depoimento na delegacia de Polícia Civil, o suspeito do crime, de 22 anos, contou que morava em Tangará da Serra (MT) e veio há poucos dias morar com a mãe em Vilhena. Ele relatou que saiu, juntamente com um comparsa, para fazer um assalto à residência durante a noite.

Eles estavam de bicicleta e viram que na casa do ex-prefeito havia uma confraternização, então decidiram vigiar o local. Observaram quando a vítima retornou para casa, depois de ir comprar cerveja com um amigo, dirigindo uma caminhonete. Eles aproveitaram o momento em que o estudante abriu o portão, entraram na residência e anunciaram o roubo.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA