Projeto cultural chega nas escolas

Projeto cultural chega nas escolas

teatroO projeto “O Teatro Vai à Escola” retornou com força total em 2015 e iniciou os trabalhos na Escola Estadual João Bento da Costa, com a peça” É Crime Não Saber Ler”, de Luiz Antônio de Araújo, com direção e interpretação de Eules Lycaon, uma produção do Grupo de Teatro Evolução.

Segundo Lycaon, o projeto tem o objetivo de levar cultura aos estudantes, bem como formar público para os espetáculos que existem em Porto Velho. “Nós observamos que pelo fato do teatro ainda não ser algo da cultura de nossa cidade, quando os espetáculos acontecem nem sempre existe um público, isso acontece porque esse tipo de cultura não foi despertado dentro da criança e do adolescente. Pensando nisso decidimos levar o teatro pra dentro das escolas, para fazer com que esses jovens tenho contato com essa arte que é o teatro”.

A escola João Bento da Costa tem história dentro do cenário de educação inclusiva no Estado, além dos conteúdos básicos, desenvolve projetos paralelos que proporcionam aos estudantes conhecimento e despertam o interesse pelos estudos. Talvez esse seja o motivo pelo qual muitos estudantes da escola tenham o máximo de aprovação nos vestibulares de Universidades Federais pelo Brasil afora.

DESPERTANDO O INTERESSE PELA CULTURA

teatro1Para a professora de língua portuguesa Sônia Santos, a apresentação da peça é importante para os alunos, pois além de despertar o interesse deles pela cultura, os mantêm dentro da escola. A professora está desenvolvendo um trabalho de leitura de grandes clássicos da literatura nacional e estas literaturas serão transformadas em peça de teatro por estudantes do 2° ano do Ensino Médio.

“A apresentação acontecerá na primeira semana do mês de julho deste ano. Decidi conversar com o Eules para que ele desse uma força para nossos alunos e ele aceitou, ficamos muito felizes porque tenho certeza que os alunos gostarão e também aprenderão como se atua no palco”, comentou Sônia.

SINOPSE

teatro2A peça demonstra o enorme, se não o maior, crime já perpetrado contra uma pessoa ou contra um povo: o da ignorância imposta pelos interesses particulares de muitos. Desde quando se promete acabar com o analfabetismo, que ao contrário aumenta dia a dia? Quando o homem do campo, sem perspectiva para a vida, sem o amor de si e de outrem, supondo-se traído eternamente, não valoriza a vida e extingue-se o amor, o único significado para viver.

O caboclo do espetáculo “É Crime Não Saber Ler”, porque não sabe ler, porque não pôde estudar, porque não lhe ensinaram, cultiva um sentimento voraz ao qual chamamos de ciúme. O exemplo rural é também urbano e humano. E de quem é a culpa, se culpa há? Não pode haver crime maior que impedir, por qualquer motivo, que a nossa gente aprenda a ler. O texto de Luiz Antônio de Araújo, narra uma história emocionante. Um monólogo interpretado pelo ator Eules Lycaon.

A peça estreou em julho de 2009 e vem emocionando os espectadores por onde passa. Várias apresentações já foram realizadas no Teatro Banzeiros em Porto Velho, porém o espetáculo já foi apresentado pelo interior do estado de Rondônia e também em outros Estados do País.

OS ALUNOS APROVARAM O PROJETO

Os alunos aprovaram a apresentação e para a maioria que nunca havia assistido a uma peça de teatro o momento foi emocionante, como comentou Pedro Alberto Silva, aluno do 2° ano do Ensino Médio. “Nossa, não imaginava que teatro fosse algo tão emocionante e envolvente. Estou até agora vivendo esse monólogo! Pretendo a partir de agora assistir outras peças de teatro”.

Aline Ferreira, também estudante do 2° ano falou da importância do espetáculo de hoje. “A história da peça é emocionante, fala do analfabetismo, aborda a questão da violência contra a mulher e de fato são temas que precisamos discutir, são temas bem atuais, embora exista um avanço na informação através da internet, existe uma outra realidade e infelizmente nós não temos contato, mas precisamos trabalhar ações que tirem as pessoas desse tipo de situação”.

Fonte: Diário da Amazônia
COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA