23.8 C
Nova Iorque
segunda-feira, julho 26, 2021

Reposta a nota de repúdio do professor Ribamar

O Prefeito professor Ribamar se disse comprometido com a população Coloradense e prestou um esclarecimento que teria sido melhor ficar calado.

Vejamos sobre o primeiro ponto de nossa matéria REVITALIZAÇÃO do estádio Municipal

O que significa revitalização: conjunto ou ações que buscam dar novo vigor, força, energia a alguma coisa, isso seria no correto português, deixar um ambiente onde o povo vê, que existe uma perspectiva de saber aproveitar, nada disso aconteceu, numa época de pandemia, poderia ter sido usado esse dinheiro para fazer alguma outra obra que beneficiasse a população.

Queremos convidar a comunidade Coloradense para visitar o Estádio onde foram gastos quase 700 mil reais, para construir uma serie de atractivos, se não vejamos as fotos:

Revitalização é pintar cerca enferrulhada, é jogar tinta encima de mato ou de portão caído, revitalizar é manter arquibancadas do estádio Municipal com tábuas quebradas, é isso que ensina um prefeito professor, escutemos o áudio de um cidadão:

Em relação ao asfalto da avenida Purus : o Próprio Prefeito professor disse que a obra está ainda em construção, em pleno prazo de garantia que vence agora em Setembro, na realidade Ribamar pediu um prazo a mais para o DER, um prazo a mais para tentar corrigir, todos os erros encontrados pôs construção, mas, os serviços já foram concluídos. Estes detalhes ficam por conta mesmo da população Coloradense, que moram nos alredores, melhores fiscais que temos hoje.

Quanto ao terceiro ponto da matéria que correspondem a aplicação de recursos do convenho Fhita : O prefeito também pediu mais um prazo para corrigir os malfeitos, que supostamente vencem em dezembro do ano em curso. Ou seja o Próprio Prefeito reconhece que vários erros foram cometidos no transcurso da obra que o Engenheiro do DER recomendou a não recepção da obra.

Todos estes fatos significam transparência conforme disse o Professor Ribamar em seu vídeo de repudio, a Folha de Vilhena e seus editores não ficaram calados com está sendo feito pelos próprios fiscais da administração, que até o momento não se pronunciaram. Quem fica calado, consciente, disse o ditado popular. Temos certeza também que os valorosos membros do Ministério Público Federal e Estadual não deixaram passar em branco os mal feitos da “administração transparente do Professor Ribamar”.

A Folha de Vilhena, escreve a história do Cone Sul do estado a quase 37 anos, elogia e publica com alegria quando tem obras que beneficiam a população e critica quando se faz a aplicação incorreta de recursos, como neste caso, que somados nessas três obras representam quase 5 milhos de reais.

Autor : Osias Labajos

Notícias relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- anuncio-

Últimas Notícias