Rondônia registra alto índice de acidentes com motociclistas

RegistroPorto Velho – Sonora:” Quando o médico falou para mim que não tinha mais jeito, que ela tinha morrido por causa do trauma foi um choque. Meu mundo desabando. É uma coisa que tipo, a perna eu posso colocar uma prótese estou viva. Mas ela não volta. Posso ter outro filho, mas ela não volta.”

Gabriele Ferreira, de 18 anos, é vítima da imprudência no trânsito em Porto Velho, Rondônia. Ela estava grávida de nove meses e perdeu a criança após uma colisão entre a moto que estava e um carro que atravessou a via preferencial.

Os números de acidentes envolvendo motocilistas no estado assustam. De janeiro a julho deste ano foram mais de duas mil ocorrências. Número seis vezes superior ao de colisões envolvendo automóveis no mesmo período.

Apenas no período de 31 de julho até a manhã da última segunda-feira ocorreram 55 acidentes com motos na capital. Ninguém morreu.

São João II, o maior hospital de urgência e emergência do estado, recebe uma média de 300 motociclistas acidentados por mês. De acordo com o diretor adjunto, Carlos Eduardo Araújo, a gravidade dos pacientes varia.

Sonora: “Tem desde o paciente com leves escoriações até algumas fraturas de membros, braços, pernas; até pacientes mais graves com traumatismo craniano, traumatismos abdominais, traumatismo torácico que precisam muitas vezes de exames mais apurados. Como tomografia, ultrassonografia e por vezes de intervenção cirúrgica não só do ortopedista como do cirurgião geral e muitas vezes do neurocirurgião também.”

O alto índice de acidentes com motociclistas levou o governo do estado de Rondônia a lançar a campanha Sobreviventes. O foco são os jovens.

Fotos e vídeos de vítimas de acidentes de trânsito são usadas para alertar sobre o perigo da imprudência na direção. Como explica o superintendente de comunicação do estado, Benedito Domingues.

Sonora;” Ele não tem medo de morrer. Ele tem um veículo que se transforma em uma arma, mas tem medo de ficar mutilado. Ele tem medo do trauma, do machucado. A campanha vem neste sentido. Estamos falando com sobreviventes, familiares dos sobreviventes. Pessoas sem uma perna, sem um braço. Pessoas mutiladas. Porque nós entendemos que o choque desperte a comunidade.”

De acordo com Benedito Domingues, a facilidade de crédito para a compra de veículo em especial as motos, mais baratas, e a imprudência no trânsito são responsáveis pelo elevado número de acidentes.

Fonte: EBC

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA