Sangue em celular pode ajudar a solucionar triplo homicídio, em RO

MortesA Polícia Civil ainda está analisando provas para encontrar os suspeitos do assassinato de três pessoas da mesma família, dentre elas uma criança de cinco anos, ocorrido em Nova Brasilândia D’Oeste (RO).

Segundo o delegado responsável pelo caso, Alexandre Baccarini, um celular com manchas de sangue foi encontrado na cena do crime e pode ser peça fundamental para o desfecho do caso. O aparelho será levado a Porto Velho para ser periciado.

Ao G1, o delegado afirma que o celular será encaminhado a capital neste domingo (12), mas não há prazo para resultado dos exames. “Possivelmente o aparelho era de uma das vítimas, porém foi encontrado dentro de uma pia na residência e estava sujo de sangue”, diz Baccarini.

A polícia acredita que o homem assassinado, que era avô da criança, também teria uma arma no local. “Ele pode ter ferido um dos criminosos, que pegou o telefone com a mão suja de sangue”, comenta o delegado.

Em Porto Velho, o aparelho será levado ao Laboratório Central, onde será coletado o sangue e digitais. “Com o resultado do exame de sangue e as digitais encontradas, poderemos futuramente comparar com os suspeitos que já temos”, conta o delegado, destacando que a polícia tem mais de três suspeitos.

Entenda o caso

Três pessoas de uma mesma família foram mortas a tiros dentro da própria residência na noite de 1° de julho, na zona rural de Nova Brasilândia D’Oeste. De acordo com o soldado da Polícia Militar (PM) que atendeu a ocorrência, Weslei Miranda, as vítimas não tiveram chances de defesa. Além de um menino de cinco anos, foi executada a mãe, de 24 anos, e o avô, de 50.

Fonte: G1

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA