Seduc diz que salário de professores de Rondônia segue o padrão nacional

seducA secretária estadual de educação de Rondônia afirma que o salário base dos professores está dentro do que a Lei de Responsabilidade Fiscal permite. A justificativa foi apresentada em resposta a um levantamento feito pelo G1 que apontou o salário dos professores do estado entre os 10 piores do país, ficando em 20º lugar (veja tabela abaixo).

Fátima Gavioli disse que gratificações elevam os salários e que, somando os valores, permitem que o estado assuma o 6º lugar no ranking de base salarial para 40 horas semanais de trabalho.

Para a secretária, o salário base de Rondônia é como a maioria dos vencimentos do Brasil e as gratificações proporcionam um total elevado. “Se um salário base é por exemplo de R$2.400,00, vai crescendo com as gratificações”, explicou Fátima, lembrando que, a cada ano, é acrescentada uma nova gratificação ao salário base. Segundo a secretária, há cerca de 60 dias, foi fornecida uma nova gratificação de 10% aos professores, que somou uma média de R$ 240 a R$ 260.

“O professor recebe gratificações, quando você soma tudo, vai pra 6º lugar no Brasil”, afirmou a secretária, que afirma que só o salário base é um problema, mas diz que é a única forma do estado trabalhar dentro da Lei de Responsabilidade Fiscal.

Lei de 2008

A lei que estabelece o piso salarial nacional para professores é de 2008 e determina diversas obrigações a municípios, estados e à União.

Além de dever pagar pelo menos o valor fixado por lei para professores com formação de nível médio e jornada de 40 horas semanais, os governos devem ajustar o salário para outras jornadas de trabalho segundo o piso.

Ainda de acordo com a lei, na jornada total, pelo menos um terço das horas trabalhadas pelos professores devem ser fora da sala de aula (a chamada “hora-atividade”).

salario-professor-estadualFonte: G1

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA