quarta-feira, janeiro 19, 2022

Vacinação infantil contra Covid começa na segunda quinzena de janeiro

nformação foi adiantada pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, nesta segunda-feira (3/1), antes de viajar à Bahia

Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles  |  Ministro da Saúde

As vacinas contra a Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, para crianças entre 5 e 11 anos começarão a chegar ao Brasil em 10 de janeiro, e a imunização será iniciada na segunda quinzena.

As informações foram adiantadas pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, nesta segunda-feira (3/1), minutos antes de embarcar em viagem à Bahia. “Na segunda quinzena de janeiro, as vacinas começam a chegar e serão distribuídas, como nós temos distribuído”, destacou.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou, em 16 de dezembro, a aplicação da vacina da Pfizer em crianças de 5 a 11 anos.

Segundo a equipe técnica da agência, as informações avaliadas indicam que a vacina é segura e eficaz para o público infantil, conforme solicitado pela Pfizer e autorizado pela Anvisa.

A tampa do frasco da vacina virá na cor laranja, para facilitar a identificação pelas equipes de vacinação e também pelos pais, mães e cuidadores que levarão as crianças para serem vacinadas. Para os maiores de 12 anos, o imunizante, que será aplicado em doses de 0,3 mL, terá tampa de cor roxa.

Consulta pública

No domingo (2/1), a pasta encerrou a consulta pública sobre a vacinação de crianças. Ao todo, foram mais de 20 mil participações. A pesquisa foi aberta em 23 de dezembro.

Nesta terça-feira (4/1), o Ministério da Saúde realiza audiência pública sobre o tema. A comunidade médico-científica defende a inclusão do grupo na campanha de imunização.

“O objetivo disso, qual é? Oferecer aos pais as informações necessárias para que eles possam tomar as melhores decisões para os seus filhos”, frisou.

O presidente Jair Bolsonaro (PL) é contra a possibilidade e defende a exigência de prescrição médica para a aplicação do imunizante em crianças. Na contramão, ao menos 20 estados já descartaram a medida.

Fonte: Metrópoles


Veja mais+

- Advertisement -

Veja Mais Notícias