Vídeo de lixo com sangue fora do hospital de Ariquemes repercute na web

lixoVídeos publicados por um vereador de Ariquemes (RO), no Vale do Jamari, estão repercutindo nas redes sociais. A polêmica é porque as imagens mostram sacolas com lixo hospitalar expostas na frente do Hospital Regional. Nas publicações é possível ver sacos sujos de sangue e materiais hospitalares fora dos containers, que ficam na frente da unidade.

Para o vereador Ernandes Amorim (PTB), a atual maneira como o lixo está sendo armazenado é imprópria e por isso ele decidiu fazer os vídeos (assista aqui)

“Recebi denúncia que o lixo do hospital estava transbordando com restos de cirurgia e parto. Lamentavelmente, isso está acontecendo”, diz.

O secretário municipal de saúde de Ariquemes, Fabrício Smaha, diz não compreender o motivo da denúncia e nega que haja irregularidades no armazenamento do lixo.

Ele diz que o serviço de coleta, esterilização e descarte do lixo era terceirizado e que o acúmulo de lixo mostrado nos vídeos se deve ao momento de transição, já que a prefeitura assumiu esse processo recentemente para economizar cerca de R$ 400 mil.

“O acondicionamento do lixo estava adequado, dentro das bombonas. Como ele acumula um pouco do final de semana e nós não temos ainda as casinhas para acondicionamento dos resíduos, […] isso pode ter levado algum animal, ou alguma coisa assim a ter rasgado um saco de lixo, como deve ter acontecido”, explica.

No entanto, de acordo com uma portaria da Agencia Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), “No armazenamento externo não é permitida a manutenção dos sacos de resíduos fora dos recipientes ali estacionados”.

A portaria ainda determina a identificação desses recipientes, de maneira visível, o que não ocorre atualmente nos contêineres, onde há apenas a inscrição “coleta seletiva”.

Smaha deu um prazo de trinta dias para que uma casa de resíduos sólidos de saúde seja construída para atender a demanda do hospital.

Segundo ele, no novo espaço, apenas servidores autorizados terão acesso ao lixo.

Por meio de nota, a Prefeitura de Ariquemes disse lamentar o que classificou como “tentativa de desestabilizar o sistema municipal de saúde, com aparente intuito de promoção pessoal”.

A Polícia Militar (PM) foi chamada pelo vereador e registrou um boletim de ocorrência como ilícito penal contra o meio ambiente.

Segundo Ursula Lima, gerente regional da Agevisa, o lixo deve ser acondicionado em container adequado, que não haja mistura com o lixo comum, nem o lixo infectante.

“Minha atitude agora, vai ser chamar um funcionário que possa me acompanhar e verificar. Caso necessário a gente pode solicitar do estado que venha um técnico auxiliar o município para fazer o descarte de forma de adequada”

Fonte: G1

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA